Drive Thru RPG

Guardiões da Chama Sagrada

26/03/2012

Nomes: Guardiões, Gravadores, Tradicionalistas.

A ideia central por trás dos Guardiões é a de que xamãs de culturas que perderam a luta contra conquistadores e influências externas podem preservar ao menos algumas de suas tradições. Talvez a tradição mais visivelmente identificável entre os Oradores para quem é de fora da Tradição, os Guardiões da Chama Sagrada se dedicam à preservação das tradições de seus povos, sejam eles os indígenas sul e norte-americanos, vodunístas caribenhos, homens sábios aborígenes…

Essa luta para manter as tradições vivas, segundo lendas, remonta desde os tempos os Neandertais, apesar de ser difícil identificar o tipo de mágika executada pela espécie antes dela ser assimilada pela homo sapiens.

O nome da facção é uma homenagem aos esforços de Flavius Longinus Didacus, um mercador romano que praticava ritos espirituais e acreditava, junto com muitos oráculos de Pompéia e Herculaneum, que haveria um tempo em que o destino do mundo dependeria da “sabedoria daqueles que caíram”. Flavius gastou grande parte da fortuna de sua família tentando ajudar os xamãs de povos que estavam nas fronteiras do Império que se expandia, evitando que fossem perturbados, garantindo cidadania a alguns dos xamãs mais importantes e inclusive criando um arquivo com narrativas transcritas provenientes desses povos. O arquivo e a vida e Flavius pereceram com a erupção do Monte Vesúvio, mas seu espírito se recusou a deixar o trabalho de sua vida acabar. Flavius se manteve em contato espiritualmente com seus aliados, pessoas que estavam interessadas tanto quando ele em preservar essas culturas. No entanto, seu esforço foi em vão: por volta do ano de 150, a iniciativa acabou-se, e o espírito de Flavius não mais foi visto. Tudo o que foi deixado para trás foi um livro de profecias, um exemplar único, e que foi confundido durante muito tempo com uma tentativa de imitação de Nostradamus. Outras iniciativas de preservação se seguiram ao longo do tempo, curtas e não muito promissoras. No entanto, um monge cristão aliado de Roberto de Aragão, um homem que acreditava na mesma premissa de Flavius, encontrou o livro de profecias e compreendeu se tratar do mesmo esforço, decidindo batizar a iniciativa de preservação por seu nome atual.

Compre o Tradition Book Dreamspeakers Revised

Duas correntes de pensamento opostas permeiam essa facção: um grupo acredita que toda cultura tem seu mérito intrínseco, tendo um lugar em um esquema maior, e portanto, merecendo ser preservado. Outra corrente acredita que pode haver valor em toda cultura, e que guardar esse conhecimento é prudente para o futuro, mas nem toda cultura é igualmente valiosa.

A mágika dos tradicionalistas é altamente formal. Um aprendiz passa anos aprendendo sobre os espíritos e seus papéis, e recebendo uma alta carga de conhecimento de seu mentor. As Buscas dos Guardiões quase sempre envolvem jornadas Umbrais. Em algumas culturas quase extintas, achar um aprendiz é uma questão importantíssima, da qual depende o próprio legado da tribo. Em alguns lugares, encontrar esse aprendiz é uma tarefa árdua, onde especificações tribais podem ser aplicadas. Para alguns povos, mesmo a cor dos olhos ou o comportamento errado podem excluir alguém da lista de aprendizes em potencial. Em casos extremos, os Oradores tentam procurar por um aprendiz que se encaixe no padrão necessário ao redor do mundo, trazendo-o finalmente até o mentor exigente.

Fonte: Tradition Book Dreamspeakers Revised Edition (Páginas 43-44)
Resenha: Emi
Revisão: Eva

Sobre Colaboração

Artigos publicados por leitores ou ex-autores do blog, que gentilmente colaboraram conosco ao longo dos anos. Artigos de opinião não necessariamente expressam a opinião das autoras do blog; traduções e resenhas têm suas informações checadas.

Ver mais artigos de