Drive Thru RPG

Umbra para Mago: A Ascensão

12/04/2012

Todos os jogadores mais experientes do Clássico Mundo das Trevas já sacaram a dificuldade de se compreender a Umbra, independente de qual título de jogo se adote. A Umbra dos Garou parece ser diferente da dos magos, e ai, para facilitar, você tem Enoque dos vampiros, a Terra das Sombras das aparições, o Sonhar dos changelings… Mas e ai, como conciliar?

Pensando nesse problema, no lugar de fazer um artigo único sobre a Umbra que seja válido para todo o cenário do Clássico Mundo das Trevas, teremos comentários, resenhas, traduções e artigos sobre cada um, separadamente, com seus respectivos sub-tópicos. Por quê? Porque os termos diferem, as descrições mudam, os caminhos são diferentes, o assunto é mamilos polêmico… caótico? Pode ter certeza. Mas qual a real necessidade de tanto caos?

Mesmo para os magos, a Umbra não é um “lugar” fácil. E também vai exigir que muito estudo seja feito – nenhum em caráter conclusivo. Ou não. No que você acredita?

Pra compreender isto, precisamos compreender o que é a Umbra. E neste primeiro artigo tentarei explicar do ponto de vista dos magos. E só ai já temos uma infinidade de dores de cabeça…

O que é a Umbra?

Compre o Book of Worlds

Pense nos seus sonhos. No caos primordial, que aos poucos toma forma. Na sua imaginação. Agora pense na imaginação humana – não só na habilidade de imaginar do ser humano, mas também em toda a imaginação acumulada pela humanidade desde antes da invenção da escrita, com seu apanhado de lendas, folclore, suas tradições orais, todos os pontos acrescentados. Agora pense no lugar de onde vieram todas as coisas. Não como a origem, mas como o berço e o destino, numa troca contínua. Junte a tudo isso tudo aquilo que ainda não foi imaginado. Agora, como explicar toda esta confusão?

Os Herméticos tentam, com sua Cosmologia Mercurial. Não é a única explicação – existem tantas explicações quanto se queira imaginar, mas é a mais recorrente dentro do Conselho. Os Oradores dos Sonhos têm suas próprias teorias, que também são tão variadas quanto a variedade de povos e culturas existentes dentro da Tradição dos xamãs. Mas outros magos também tem suas teorias, então…

Cosmologia Mercurial

A Cosmologia Mercurial é a forma como a Ordem de Hermes mapeia a Umbra. Mas atenção: ela é válida para o cenário da 2ª Edição – na 3ª Edição, o Maelstron e a Tempestade de Avatares mudaram tudo para todo mundo.

Legenda:

1. Reino Médio (Monte Qaf)
2. Mundo Material
3. Horizonte
4. Umbra Alta
5. Umbra Média
6. Umbra Baixa
7. Penumbra
8. Áditos
9. Reinos Umbrais (encontrados em todas as três Umbrae)
10. Umbra Profunda/Eterespaço
11. Reinos-Sombra
12. Reinos-Fragmento / Planetas
13. Reinos do Paradoxo
14. Reinos Primordiais Etéreos
15. Oblivion
16. Cortes
As Zonas se sobrepõe e são parte de tudo.

Para Mago 3a Edição, leia The Infinite Tapestry

Resumindo: a Umbra é tudo, e não é nada. Quanto mais “densa” a efêmera, mais “real”, material, menos conceitual e próximo da Umbra Média algo se torna na Umbra. Quando menos “densa” a efêmera, mais próximo da Umbra Alta, mais próximo dos conceitos, até se perder no infinito.

Estas divisões são uma forma da mente Desperta compreender o “outro mundo”. Se são reais? Sim e não. A Umbra depende do olho (e da mente, do nariz, e de todos os sentidos, e das experiências pessoais, ressonância… ) do observador, e ainda que sejam Iluminados, magos possuem uma mente humana, que julga, cataloga e classifica, e raramente de uma mesma forma. Assim, existem tantas divisões na Umbra que todos os magos são unânimes ao afirmar que a Cosmologia Mercurial funciona, mas nem sempre, porque tudo muda a todo instante, mesmo que apenas em detalhes distantes, na linha do horizonte. Já assistiu àqueles filmes em que pequenos elementos cênicos mudam de lugar para criar a inquietação no espectador? Então… esteja avisado.

Artigos sobre a Umbra para Mago: A Ascensão

Reinos

Fonte: Beyond the Barriers – The Book of Worlds
Autor: Eva

Sobre Eva

Escritora, tradutora e revisora, bruxa feminista, maga da Dragão Brasil, Oráculo do Livro dos Espelhos e editora da Aster Editora.

Ver mais artigos de