Drive Thru RPG

Uma Visão Tecnocrata Sobre o Mundo

26/01/2012

technocratsA seguir, um texto enviado pelo Edu, um antigo companheiro de mesas de RPG da Eva (saudades Edu!) e leitor do Book of Mirrors, com a visão dos Cinzentos sobre o mundo. Aguardamos comentários!

_______________

Ninguém quer que sua frágil realidade compartilhada se parta como um ovo em um piso de mogno. E durante a noite alguém está trabalhando duro para se assegurar de que isso não vai acontecer. Se a realidade está a beira de um precipício como dizem alguns, então a Tecnocracia existe para mantê-lá longe da borda. Uau! Que pensamento. Todos nós já ouvimos falar sobre esses “Tecnocratas sem almas” não é? Todo aquele negócio sobre escravidão mental e realidade estática? Todas aquelas histórias sobre zangões assassinos sem vontade própria e homens de óculos escuros. Falências, corpos despedaçados e doenças criadas para matar os inimigos da União!

Mentiras. Todas elas.

Bem, talvez nem todas, mas você não pode fazer uma omelete sem quebrar alguns ovos. Quando sua missão é a salvação da humanidade, para não falar na elevação da mesma, você não pode ser sempre um cara legal. Seus Inimigos certamente não são.

Você nunca ouviu? O mundo está cheio de Transgressores da Realidade – monstros imortais, mutações genéricas, pesadelos ambulantes e feiticeiros de olhar enlouquecido – capazes de estripa-lo apenas com um olhar. Aqueles sons de tiros no meio da noite! E melhor você acreditar que eram apenas brigas de traficantes de drogas e atiradores solitários.

Mas nós somos mais do que apenas um exército. Tudo o que você usa, tudo o que sonha, tudo aquilo que o mantém a alguns estágios acima das bestas, conduz a nós. Somos os inovadores, os criadores, os técnicos e os construtores. Aqueles caixas de banco automáticos? Convenientes, não são? Pode nos agradecer. Aquele carro que você dirige? Nós o projetamos. Pode nos agradecer. Aquela fonte de energia sempre presente que abastece sua TV. Seu videocassete, seu ar condicionado, suas luzes? Isso não foi barato. De nada.

Mas existe um preço, sabe. Sempre existe. A ordem requer sacrifícios. De algumas comodidades. Ou de algumas liberdades. Ou de algumas vidas. E lógico que preferimos que as vidas e as liberdades perdidas pertençam a outras pessoas.

A menos que nos mantenhamos firmes contra eles – com diplomacia quando possível, com a força das armas se necessário – nosso pequeno e precioso mundo irá mergulhar no caos. Na anarquia. Na anarquia real, não na diversão de adolescentes entediados. E essa queda está muito mais próxima do que você imagina.

Fonte: Guia da Tecnocracia
Enviado por: Edu

Sobre Colaboração

Artigos publicados por leitores ou ex-autores do blog, que gentilmente colaboraram conosco ao longo dos anos. Artigos de opinião não necessariamente expressam a opinião das autoras do blog; traduções e resenhas têm suas informações checadas.

Ver mais artigos de