Drive Thru RPG

Sobre Lobisomem: O Apocalipse

23/03/2012

Lobisomem: O Apocalipse é um jogo de RPG criado por Mark Rein·Hagen, Robert Hatch e Bill Bridges. Teve sua primeira edição lançada em 1991, sendo o segundo título lançado para o Clássico Mundo das Trevas, seguindo Vampiro: A Máscara. Teve sua segunda edição em 1994, e a terceira em 2000.

“Apocalipse” se refere à batalha dos lobisomens contra a destruição causada pela Wyrm, batalha cuja chance de vitória se torna a cada dia menor. Com um tom diferente de Vampiro, onde o horror pessoal impera, Lobisomem é um jogo de horror selvagem, onde o desespero e a fúria colorem cada decisão. Cada Garou é fruto da racionalidade humana e do instinto lupino.

O Conceito

Na pele de um guerreiro nascido para matar e com a fúria como herança, o jogo aborda temas como a luta por sobrevivência, instinto, a luta contra um inimigo muito maior e cujo alcance se estende em direções desconhecidas e contra a corrupção, que corrói os corações e mentes de forma perturbadora.

Os Lobisomens no Mundo das Trevas

Compre o Werewolf: The Apocalypse Second Edition

Diferente do mito que conta que os lobisomens mudam apenas na lua cheia e que basta ser mordido por um lobisomem para se tornar um, os lobisomens já nascem lobisomens, e possuem o poder para mudar de forma à vontade. Os Garou, como se chamam os lobisomens, foram criados por Gaia, o espírito da Terra, para serem seus guardiões sagrados. Ganhando dons dos ventos, dos espíritos, de Luna e da própria Gaia, são guerreiros orgulhosos, movidos pelo instinto e pela união de dois mundos: o humano e o lobo.

A ideia central de Lobisomem é que os jogadores interpretem Garou novatos, recém-passados por seu Rito de Passagem, se tornando adultos para a própria Tribo e tomando parte da guerra contra a Corruptora. Os embates internos, quanto ao distanciamento da própria espécie, a busca pela glória e pela morte em batalha e a ideia de que cada guerreiro é importante e muda o cenário permeia as histórias.

Cosmologia

As três forças espirituais maiores do universo de Lobisomem: O Apocalipse são a Weaver, a Wyld e a Wyrm. A Wyld é a Criadora, a  força caótica que cria novas coisas. A Weaver, aquela que tramava a criação em padrões. E a Wyrm, aquela que destruía tudo, para que o equilíbrio fosse mantido. No entanto, a Weaver enlouqueceu e prendeu a Wyrm em seu casulo. A Wyrm perdeu o controle e mudou seu propósito: ao invés de buscar o equilíbrio, passou a buscar apenas a destruição. A Wyrm tem muitas faces e muitos agentes, e procura destruir Gaia, assim trazendo o Apocalipse. Para os lobisomens, isso não é uma lenda: é uma realidade viva e desesperadora, e eles lutam firmemente contra os propósitos da Wyrm.

As Tribos, Os Augúrios e As Raças

Tribos

Os lobisomens estão organizados em Tribos, sendo seres sociais tanto quanto humanos ou lobos. O que define cada Tribo são os fatores culturais, étnicos, genéticos e geográficos: cada tribo provém de uma região diferente do planeta. Diferente de Raça e Augúrio, a Tribo é conquistada apenas depois do Rito de Passagem. Antes desse Rito, o Garou é considerado apenas um filhote, pouco mais que uma criança da Tribo. Os conhecimentos e dons tribais lhe são negados, até que ele se prove um adulto e digno de tais conhecimentos. Com o rito completado, ele se torna membro da Tribo, e finalmente pode ter acesso aos dons e a uma “cidadania plena”.

Augúrios

O Augúrio indica a fase da lua sob a qual o Garou nasceu e mostra o papel que o lobisomem está destinado a ter entre a Nação Garou. Para isso, o lobisomem recebe dons poderosos para ajudá-lo em sua função. Um Garou se torna mais forte quando a lua sob a qual ele nasceu se encontra no céu. A primeira vez a cada mês em que um garou vê a lua que corresponde ao seu Augúrio, ele é tomado por uma onda de energia incontrolável.

Raças

A Raça é a espécie na qual o lobisomem nasceu: entre humanos (hominídeos), lobos, ou uma cria impura entre dois lobisomens. A criança nascida de dois lobisomens sempre será outro lobisomem, porém completamente estéril e deformada, sendo considerada cidadã de segunda classe.

Organização e Sociedade dos Lobisomens

Compre o Werewolf: The Apocalypse Revised Edition

A Alcatéia

Os Garou são criaturas extremamente comunitárias. A matilha (ou alcatéia, numa tradução mais acertada de “pack”) é a unidade social mais antiga e mais básica, unindo lobisomens por laços de amizade ou por interesses comuns, que podem variar imensamente de “Combater o avanço da Pentex sobre o pântano local” até “Combater a corrupção onde quer que ela esteja”. Matilha são núcleos fechados e podem ser duradouras ou ter a duração mantida apenas pelo tempo em que seus interesses precisarem ser cumpridos. Enquanto a alcatéia existir e for protegida por seu Totem, manterá laços de amizade e confiança indestrutíveis. O Totem é um espírito guardião que é associado à alcatéia em um grande ritual, atuando como guardião e orientador.

A Litania

Durante as eras, os lobisomens foram capazes de criar um código de leis e passá-la de geração em geração. Uma tradição oral, a Litania está sujeita a múltiplas interpretações. Ela toma a forma de uma canção, contendo as tradições, códigos e leis da Nação Garou.

Fonte: Lobisomem: O Apocalipse 2ª edição, Lobisomem: O Apocalipse 3ª edição e Wikipédia
Autor: Emi
Revisão: Eva

Sobre Colaboração

Artigos publicados por leitores ou ex-autores do blog, que gentilmente colaboraram conosco ao longo dos anos. Artigos de opinião não necessariamente expressam a opinião das autoras do blog; traduções e resenhas têm suas informações checadas.

Ver mais artigos de