Apadrinhe o Livro dos Espelhos!

O Sonhar – Changeling: O Sonhar

09/01/2013

Tudo o que vejo, tudo o que suponho
É só um sonho dentro de um sonho.

A Dream Within A Dream – Poe

Aproveitando que estamos no embalo dos artigos sobre a Umbra no Clássico Mundo das Trevas (que você pode conferir aqui), hoje decidi falar do Sonhar, já que também me chegam muitas dúvidas sobre esse “lugar”.

O Sonhar

O que é, exatamente, o Sonhar? Para os changelings, é sua casa original. É um mundo feito de sonhos, de criatividade, medos e esperanças dos mortais. Diz-se que, uma vez, o Sonhar já foi parte do mundo mundano, porém, os dois se separaram.

Quando a humanidade começou a acreditar mais na razão que na fantasia, a parte mística do mundo se ramificou em um mundo sobreposto chamado Sonhar – que, de início, era só algo como uma “Periferia” entre o mundo mundano e Arcádia. Porém, durante o Shattering, todos os trods para Arcádia se fecharam, e apenas umas raras estradas para o Sonhar continuaram lá, ampliando o Sonhar, que se tornou um mundo (ainda mais) infinito em si mesmo, ainda próximo o bastante do mundo mundano para permitir que gotas do precioso Glamour escapem para ele. E, em algum lugar no coração do Sonhar, diz-se que Arcádia ainda permanece, ainda que todos os caminhos estejam perdidos agora no Outono das Eras, em algum lugar onde nem mesmo o mais sábio dos changelings consegue encontrar, as lembranças desta terra abençoada varrida pelos ventos frios da banalidade.

Para as outras criaturas do Clássico Mundo das Trevas, o Sonhar nada mais é do que uma zona selvagem da Umbra, dessas que eles não podem explicar e não sabem bem do que se trata – e nem mesmo sabem alcançar. Para os changelings, entretanto, é sua casa.

Como dito antes, o Sonhar na verdade é um mundo sobreposto – cujos trods para o mundo mundano foram reabertos durante o Ressurgimento. Divide-se entre Sonhar Próximo, Sonhar Distante e Sonhar Profundo.

A seguir, darei algumas informações gerais sobre “os três Sonhares”, que talvez ajudem novos jogadores a se ambientar nesse mundo de maravilhas e perigos.

padrim1

 

O Sonhar Próximo

O Sonhar Próximo é a camada do sonhar que reside mais próximo do mundo dos mortais. Ele se sobrepõe partes da realidade, chegando mesmo a imitar partes da realidade – como a Periferia de outros lugares da Umbra. Um changeling que pegue um trod que fica no caminho de uma antiga fábrica de brinquedos pode encontrar, ao cruzá-lo, a mesma fábrica de brinquedo, mas mais viva, habitada por quimeras animadas e inanimadas, e por changelings que se dedicam a tecer novos sonhos e criações. Um trod que cruze a um aeroporto pode sair em um aeroporto de dragões e geringonças voadoras dos Nockers. Um shopping pode se parecer como uma grande feira ao ar livre, esperando para ser ocupada por barraquinhas de quinquilharias e espaço para um teatro de marionetes. Ao cruzar um trod, aqueles pedaços da realidade terrena que são espelhados no Sonhar Próximo adquirem traços fantasiosos, fantásticos e muitas vezes, metafóricos.

Existem, entretanto, partes do Sonhar próximo que não espelham a realidade mundana, ainda que suas características geográficas sejam moldadas pelas regras da Terra dos mortais. Em outros lugares do Sonhar Próximo, construções e objetos do mundo real que foram criados com alta dose de inspiração e imaginação surgem espontaneamente, com traços, características e personalidades próprios, conforme os mortais continuam tecendo novos sonhos, mesmo perto do Inverno.

Para um changeling que se encontre no Sonhar Próximo, o semblante feérico de si mesmo e dos demais será mais real do que o semblante mortal.

Muitos freeholds e propriedades das fadas encontram seu lugar aqui. E por mais que os lugares sejam moldados pelo mundo dos mortais, não é possível confundir as duas coisas. Aqui, as emoções são mais intensas e mais puras, as cores são mais vívidas, a água é mais fresca, os sabores são mais deliciosos. Os objetos moldados pela Banalidade são apagados, ou simplesmente desaparecem, dado que ninguém lhes dá atenção.

No Sonhar Próximo, as Sendas de Prata dos trods são mais seguras, mais constantes e fáceis de se seguir, levando com mais segurança até onde se espera que elas levem.

É a parte do Sonhar que faz mais sentido para a mente dos changelings que as outras Terras dos Sonhos, já que a Banalidade que ainda chega do mundo dos mortais ajuda a colocar alguma ordem no caos do Sonhar, tecendo padrões mais assimiláveis.

Porém, quanto mais longe um viajante vá no Sonhar, mais… selvagens as coisas vão se tornando.

O Sonhar Distante

Em algum momento, o Sonhar Próximo desvanece, embora suas fronteiras sejam dificílimas de serem delimitadas. Sendas de Prata dos trods às vezes desaparecem, ou levam de uma terra para outra. Essa parte das Terras dos Sonhos, então, surge de repente, quando se segue algum dos trods mais poderosos, que levam a essas terras antigas, mais caóticas. Aqui, os trods são mais perigosos, e é impossível de prever onde eles vão, de fato, chegar.

O semblante feérico dos changelings se torna a realidade, muitas vezes se tornando praticamente uma caricatura do que é de fato, ressaltando as características de sua raça, para melhor e para pior, uma vez que a Banalidade está cada vez mais distante, conforme o viajante se afasta do mundo mortal.

Enquanto viajar pelo Sonhar Próximo é como caminhar em uma história, caminhar no Sonhar Distante é como caminhar em uma lenda. E aqueles que se aventuram aqui por tempo demais acabam em um limiar de loucura conhecido como Bedlam. Bestas quiméricas mais antigas viajam por essas terras, Artes funcionam melhor, muitas vezes chegando ao ponto de gerar certos efeitos especiais impossíveis de se reproduzir no mundo dos mortais.

Alguns usam o Sonhar Distante para percorrer grandes distâncias do globo terrestre mais rapidamente – entretanto, não é uma garantia de que, de fato, se conseguirá. Alguns changelings já ficaram perdidos no Sonhar Distante por anos, até que, finalmente, saíram exatamente pelo mesmo lugar por onde entraram. Ouvi alguém ai pensar em Nárnia e em um guarda-roupa, feito do tronco de uma árvore mágica? ^-~

Mas existe algo ainda mais… além, onde as coisas conseguem ficar ainda mais caóticas.

O Sonhar Profundo

O Sonhar Profundo é uma Terra dos Sonhos sem explicação. Ele responde mais aos pensamentos, emoções e desejos do viajante do que a qualquer lógica. Apenas raríssimos trods levam a este lugar, que não se sabe onde começa e, se de fato, termina. Seus caminhos são difíceis, e as Sendas de Prata respondem às necessidades do momento, e apenas àqueles que conhecem os seus segredos. Muitos que foram para lá nunca voltaram.

Absolutamente qualquer coisa pode acontecer aqui, uma vez que a Banalidade está de todo distante desse lugar abençoado. A lógica dos sonhos prevalece aqui soberana, e coisas como cair pra cima, sobreposição de lugares e de coisas e lapsos de tempo são perfeitamente possíveis. Esse lugar é resultado da manifestação da mais profunda criatividade, a manifestação espiritual dos sonhos mortais mais poderosos – tudo ao mesmo tempo, e muitas vezes, no mesmo instante. A realidade é tão subjetiva, que é difícil dar qualquer descrição desse lugar. Os sonhos não podem ser controlados ou direcionados, já que esta é a função da Banalidade.

O Sonhar Profundo dá vida e responde a desejos secretos, medos profundos e impulsos absolutamente ilógicos e desconexos. Se o Sonhar Próximo é uma história e o Sonhar Distante é um mito, o Sonhar Profundo é como caminhar na personificação dos próprios sonhos.

Acredita-se que, em algum lugar no coração do Sonhar Profundo, esteja Arcádia, mas não se tem certeza se é alguma ilusão. Paraísos e infernos tomam existência no Sonhar Profundo, então talvez a visão de Arcádia seja apenas a resposta do Sonhar Profundo aos desejos mais intensos do viajante.

E Arcádia?

Acredita-se então que Arcádia esteja em algum lugar dentro do Sonhar, seus portões selados. Os changelings possuem poucas e confusas memórias sobre essas terras, que permaneceram fechadas por séculos – até que o homem pisou na lua e toda a humanidade sonhou junta uma vez mais, o que permitiu que os portões de Arcádia se abrissem por tempo o suficiente para que as Casas Nobres dos Sidhe voltassem para o mundo dos mortais.

Não se sabe o que aconteceu com Arcádia, ou se de fato ela ainda existe. Segundo alguns Sidhe, Arcádia está sob forte cerco de algo, ou então, caiu e foi varrida para sempre.

Como os lugares do Sonhar se encaixam?

Vou tentar usar o exemplo de um amigo que, há muito tempo, me apresentou Changeling, okay? Imagine um castelo medieval de um reino muito rico, onde a população é feliz, há alimento em abundância. Pense em um reino paradisíaco, que precisou erguer muros para se proteger de ameaças que vinham do mundo exterior. Para fora das muralhas, ficaram sim terras férteis, mas que em comparação ao paraíso dentro das muralhas, eram apenas terras fétidas e miseráveis. Entretanto, por um tempo, podia-se sair e entrar – até que a ameaça se tornou muito grande, e os portões para o castelo se fecharam para sempre.

O Sonhar seria essa terra pobre ao redor das muralhas, que agora, estão distante demais para que se possa sequer encontrar. Perto das promessas de maravilhas de dentro das muralhas, essas terras são apenas sombras pálidas. Entretanto, elas são mais férteis, ricas e perfeitas do que qualquer coisa que exista além desse reino.

Eu sei que é um pouco difícil entender como isso se dá. Entretanto, como estamos lidando com um jogo de sonhos e fantasia extrema, metáforas, mais do que necessárias, se tornam a regra, e a poesia se torna a realidade, sobrepujando qualquer explicação científica.

Como o Sonhar se relaciona com a Umbra?

Bom, eu vou chutar, okay? São compreensões pessoais, que podem ou não estar certas, serem canônicas ou não, mas que eu tenho aplicado nas minhas mesas de RPG, quando necessário, e tem funcionado ao longo dos anos.

Em algum ponto, através de portais (afinal, para a concepção de Umbra do resto do Mundo das Trevas, o Sonhar é uma zona, de que falaremos em breve), o Sonhar toca pontos diversos da Umbra. Enquanto o Sonhar Próximo entra em contato, por exemplo, com Maya e outras Zonas Oníricas da Umbra Média, em sua porção mais próxima ou mais distante da Terra, o Sonhar Distante é isolado, mas ao mesmo tempo, possui portais para as três Umbrae, e o Sonhar Profundo tanto toca a Umbra Alta quanto a Umbra Baixa.

Algo interessante a se falar é da ligação do Horizonte e da antiga Casa Diedne das Casas Herméticas, um ponto interessante de metaplot que liga Changeling: O Sonhar a Mago: A Ascensão. Mas não falemos disso profundamente agora – é um capítulo da história que merece ser contado devagar.

Como sempre, deixem dúvidas, comentários e sugestões – e claro, ideias contrárias com seus argumentos. Afinal, os comentários fazem parte integral de cada artigo, e toda discussão o complementa e mesmo aumenta as coisas que os artigos abordam *-*

Gostaria também de agradecer ao Zero, que por e-mail, tem me ajudado a descobrir as traduções oficiais de expressões de Changeling usadas pela Devir, o que me permite não deixar tão perdido o pessoal que leu o livro em português.

Até a próxima!

Autora: Eva

Sobre Eva

Tradutora, revisora, escritora e sonhadora. Anarcafeminista em constante estado de amor e horror com o mundo. Editora no Livro dos Espelhos.

Ver mais artigos de