Drive Thru RPG

Novidades sobre Mago: A Ascensão Edição de 20 Anos

27/03/2013

Mesa do Phil Brucato enquanto ele trabalha no M20 xD

Mesa do Phil Brucato enquanto ele trabalha no M20 xD

Olá! Hoje trago pra vocês algumas novidades sobre a edição de 20 anos de Mago: A Ascensão. Conforme quem tem acompanhado pelo Facebook já conferiu, o autor responsável pela edição tem liberado trechos do novo livro pra deixar a gente morrendo de vontade de ler tudo logo.

O Phil Brucato também deu uma entrevista no Youtube, que deixo pra vocês ao final do artigo. A entrevista está, obviamente, em inglês, mas estamos trabalhando na legendagem para o português – demora um pouquinho, mas já está em processo de transcrição.

Organizei os trechos por data de publicação, espero que vocês se divirtam tanto quanto eu *-*

* * *

22/02/2013

Arte de JungleGypsy

Arte de JungleGypsy

 

O maior problema com os homens e os deuses é que muitos homens se consideram deuses e muitos deuses compartilham das vaidades humanas. Isto é especialmente verdadeiro para os Despertos – homens e mulheres abençoados com o poder divino e amaldiçoados com as fraquezas humanas. Se você se juntar a essas pessoas, você deve estar ciente do que isso significa. O poder de tal Caminho é certo, mas sua capacidade de destruir você e tudo que você quer bem é igualmente assegurado.

O Arquimestre Portos Fitz-Empress da estimada Ordem de Hermes percebeu isso quando cunhou o termo “a Trilha Frágil” para se referir à estrada traiçoeira que todos os Despertos percorrem. A loucura gritante dos Desauridos, a gentil demência dos magos das Tradições, a retidão implacável da Tecnocracia e a sombra infernal entre os Nefandi, as buscas errantes dos Órfãos e Díspares, as dúvidas que cada mago encontra dentro de si ou de seu coração – estas são as sombras da Ascensão. Quando o poder, o orgulho e o paradoxo de objetivos elevados estão em mãos humanas, demasiado humanas, e correm sem controle em seus corações, o equilíbrio entre eles pode realmente parecer frágil.

Você quer ser um mago?  Um sacerdote ou sacerdotisa sagrado de mistérios cósmicos?  Então preste atenção ao que eu digo. Eu investi muitos anos nesta trilha frágil, e existem poucas almas na terra que saibam tanto quanto eu…

Trecho de Mago: A Ascensão Edição de 20o Aniversário, Capítulo Um.

m20post-523/02/2013

Depois de alguns ajustes, o Capítulo Dois de Mago: A Ascensão Edição de 20º Aniversário está pronto… e tem mais de 28 mil palavras! Este capítulo lida com o Mundo das Trevas mortal e os muitos Mundos Além, a partir da Película para além dela. Incorporando elementos de todas as três edições de Ascensão, mais Cruzada dos Feiticeiros, o Capítulo Dois permite – mas não exige – os efeitos dos metaplots de Ascension Warrior e Reckoning. Tal qual acontece com muitas outras partes do M20, grupos individuais tem a opção de seguir, mudar ou ignorar o metaplot épico de Mago. Próxima semana: Capítulos Três e Cinco, onde eu planejo compensar o tempo perdido em vários acontecimentos da minha vida na semana passada… como a FaerieCon West 2013 e Open Your Heart to the Magic of Love (em que eu trabalhei e foi lançado na semana passada).

A-VAAAAAAAAAANTE!!!!

m20post1-428/02/2013

Um Épico Intimista

Vinte anos atrás, apareceu um jogo que MUDOU o jogo. Era grande e épico e confuso que só o capeta. Ele ousou levar pessoas a pensarem fora da caixa – não apenas lançar bolas de fogo, mas realmente a pensar sobre como e porque nós fazemos as coisas que fazemos. Mago desafiou as pessoas a fazer a diferença em seu mundo. E agora, mais do que nunca, o desafio continua.

Contra a tapeçaria épica de uma Guerra da Ascensão, Mago: A Ascensão, antes e agora, conta com arquitetos da realidade presos em uma luta mortal para decidir qual futuro prevalecerá. Mas dentro deste âmbito por vezes cósmico, Mago faz uma pergunta íntima: Se você tivesse o poder de um deus, o que você faria com ele… e o que ELE faria com VOCÊ?

Se você é um fã antigo de Mago ou um novo convertido, essa pergunta é o coração do jogo. Porque se você é um bruxo Verbena ou um Homem de Preto, você faz a diferença no seu mundo. Todo mago é um agente da mudança – um herói dinâmico em um mundo enlouquecido. E apesar de o mundo transbordar com horrores cósmicos e tiroteios nas ruas, o maior inimigo que você enfrenta é o desespero.

Ser um mago significa que você tem opções. A esperança nunca se vai realmente. Se você é inteligente o bastante, corajoso o suficiente e imaginativo o bastante para mudar suas circunstâncias, você pode. Esse poder tem um preço alto, mas no final vale a pena.

Vinte anos atrás ou agora, Mago convida você a jogar dados com o cosmo. Para moldar as Forças e a Vida e o Tempo. Nesta Edição de Aniversário, você tem mais opções do que nunca. Então se divirta.

Em Mago, a mágika importa… e você também.

__________________________

Novo trecho da Introdução de Mago: A Ascensão Edição do 20º Aniversário. Aproveite e sinta-se livre para compartilhar. :)

m20post1-129/02/2013

Minha frase favorita do trabalho de hoje em Mago: A Ascensão Edição do 20º Aniversário:

“Arte é a linguagem de realidades que a ciência não consegue entender.”

 

08/03/2013

Estamos cercados por um mundo que nos diz para não sermos poderosos. “Deixa isso para os especialistas”, dizem… com os “especialistas” que são eles mesmos. Desista do seu poder. Seja um bom dronezinho. Deixe as pessoas grandes tomarem conta das coisas difíceis para você.

m20post1-2Foda-se. Esse. Barulho.

Se você é um mago, então você É uma das “pessoas grandes”. Mágika é o teste. Quando você tece suas Artes, você faz com que coisas aconteçam. E isso é GRANDE.

Isso é poder.

E esse poder assusta as pessoas.

Nos tempos antigos, o povo fez fogueiras para pessoas como nós. Não importava, então, se nós éramos bruxas ou hereges ou pessoas cuja ciência ameaçava seu pequeno mundo plano, ou se nós apenas éramos muito legais, muito bonitos, muito bons no que nós fizemos. Atualmente, as fogueiras se parecem mais com flame wars na internet… a não ser, é claro, se você atrair a atenção das pessoas que ainda, literalmente, queimariam seu traseiro até a morte porque você ameaça sua realidade. E neste Mundo das Trevas, essas pessoas estão lá fora – e, muitas vezes, eles somos nós.

Se você é um mago místico, você terá Tecnocratas vindo para te calar; se você é um Tecnocrata, aqueles malditos Transgressores da Realidade distorcerão seu mundo como se fosse pretzels. Os Loucos nos querem todos na toca do coelho com eles, e os Caídos querem que dancemos para a eventual condenação do mundo. Mesmo dentro de nossas próprias fileiras, as pessoas que consideramos amigos ou aliados podem chutar nosso traseiro por sermos muito livres, muito restritivos, muito intuitivos, muito escolásticos, por passarmos muito tempo online ou por corrermos nus pela mata. O poder ameaça o poder. O orgulho odeia se provar errado.

E assim, o paradoxo do orgulho e do poder tanto nos exalta quanto nos destrói.

Não é fácil ser um mago.

Mas sabe de uma coisa? A dor vale a pena.

É melhor queimar com brilho e iluminar o seu mundo do que arder para sempre na escuridão, imaginando o que poderia ter sido e não foi.

________________________________

Da sessão de escrita de hoje com 6100 (!!!!!) palavras que eu escrevi para o Capítulo Três de Mago: A Ascensão Edição do 20º Aniversário: Mágika – A Arte da Realidade

m20post1-313/03/2013

A expressão “mágika vulgar” provavelmente surgiu porque certos mágicos… ou, mais provavelmente, Tecnocratas… sentiam que fazer certas coisas como voar em pleno ar ou atirar bolas de fogo era “para feiticeiros comuns”, não para pessoas refinadas e bem nascidas tais como eles mesmos. Com o tempo, porém, o termo se fundiu com outro termo mais velho: Mágika vã. Esta era a mágika que se pavoneava e escarrar na face de Deus. Um mago vão era considerado alguém que sentia que seu poder superava a Ordem Divina… e que, portanto, precisava ser punido.

Naquela época, o retorno de realidade sobre a mágika vã era algo chamado de Flagelo. Como o Efeito do Paradoxo, este “chicote místico” açoitava um mago com a pretensão de ser melhor do que todos os outros; às vezes, porém, o Flagelo realmente recompensava o orgulho. Era quase como se os Poderes Que Valem estivessem dizendo, Ei garoto, bom trabalho! Você não deveria ter feito isso, mas eu gosto de um mago com coragem. O Flagelo poderia machucá-lo, mas também poderia ajudá-lo, e você nunca sabia bem o caminho que as coisas tomariam até que o chicote cantasse.

Em nossos dias, a punição vem do Paradoxo e é assumidamente dura. Um mago que use mágika vulgar invoca o Efeito do Paradoxo, e seja ou não castigado imediatamente, ele sofrerá por isso mais cedo ou mais tarde. Será que este sofrimento descende de julgamentos morais do alto, ou simplesmente das lágrimas em seu Padrão energético que surgem da luta contra a realidade? Como de costume, depende de para quem você pergunta. De qualquer maneira, o resultado é o mesmo. Cedo ou tarde, a mágika vulgar conduz a danos… e assim, a maioria dos magos evita usá-la, a menos que seja absolutamente necessário.

O que leva a outro paradoxo: Para sermos o que somos, às vezes precisamos ir contra o fluxo. Um mago existe para ousar. Desafiar o Paradoxo é o que nós fazemos; se nós nunca fazemos isso, nós negamos o nosso potencial para a mudança. Usar a mágika, então, é um risco calculado. A mágika coincidente exige inteligência e habilidade. A mágika vulgar demanda muito atrevimento e disposição para encarar as consequências de suas ações, e ambas as abordagens são essenciais para fazer o que fazermos e sermos quem somos.

Ninguém nunca disse que ser um mago era fácil. Mas sem as pessoas que estão dispostas a arriscar tudo, nada do que vale a pena jamais é feito.

As 2069 palavras de hoje me levam a compartilhar que Mago: A Ascensão Edição do 20º Aniversário passou da marca das 70 mil palavras. :)

18/03/2013

Arte por Ryohei Hase

Arte por Ryohei Hase

A mágika é um verbo. Você faz isso, você Deseja isso, você faz coisas acontecerem. Apesar da antiga visão de magos como místicos excêntricos e senis, nós somos forças dinâmicas em nosso mundo. Quaisquer que sejam as ferramentas que usem, as crenças que aceitem, quaisquer fins que persigam com as forças sob seu comando, magos FAZEM coisas. Nossas Artes são nossas ações, em qualquer papel que interpretemos.

E assim, quando se vai além do esoterismo, o núcleo da mágika é simples: Aprenda. Saiba. Queira. E faça. Seja orgulhoso, mas não descuidado; criativo, mas não indisciplinado. Entenda que as ações têm consequências, e esteja pronto para arriscar tudo que você sabe por um objetivo maior. “Olhai além do próprio rabo há de ser tudo da Lei.” Faça o que fizer, traga orgulho e arte para as suas realizações que os próprios deuses vão cantar seus louvores quando o jogo estiver acabado…

______________________

Cerca de 1500 palavras hoje cobrem o Capítulo Três, e a primeira parte de Mago: A Ascensão Edição do 20º Aniversário está mais ou menos pronta. :D

* * *

Aqui a ansiedade só está aumentando com cada sneak peak que o autor libera… e pra finalizar, a entrevista em duas partes (culpa dos Malkavian, certeza xD) que o Brucato deu no Youtube para o Your Main Man (antigo autor da Anders Mage Page) no canal Your Main Man Speaks.

O canal é muito bacana! Lá você também encontrará, entre muitas outras coisas, entrevistas com o Mark Rein-Hagen, então corre lá pra conferir ^-^

Até a próxima, pessoal! Esperamos poder terminar a tradução e a legendagem da entrevista o mais rápido possível,  as novidades serão postadas aqui o/

Fonte: Facebook
Tradução: Eva
Agradecimentos: Emi e Heder

Sobre Eva

Tradutora, revisora, escritora e sonhadora. Anarcafeminista em constante estado de amor e horror com o mundo. Editora no Livro dos Espelhos.

Ver mais artigos de