Drive Thru RPG

Mais Sobre Personagens do Novo Jogo Mummy

30/05/2012

A mágica Imortal é mágica ancestral

Ontem o Suleiman fez um novo post sobre o novo Mummy: the Curse no blog oficial com novidades sobre o jogo. E mais uma colaboração do Malcolm Sheppard, e assim que pude, corri aqui traduzir pra vocês.

Você tem alguma dúvida ou sugestão sobre o jogo para o Novo Mundo das Trevas? Faça seus comentários, eles serão levados para os autores do jogo.

Personagem: A Forma Oculta

Oi galera. Na semana passada, nós apresentamos as bases do sahu – a reconstrução mágica da forma da múmia – e esta semana concluiremos nossa discussão do sahu com algumas reflexões sobre o contexto geral oculto da condição de Surgido (mais uma vez, cortesia do Malcolm, que me ajudou a projetar as porcas e parafusos do mesmo).

Aura e Vísceras

Como alguns de vocês sabem, eu trabalhei em todo o Mago: O Despertar. Esse jogo se apega aos motivos que as pessoas associam com a feitiçaria clássica: terra, ar, fogo, todas as coisas do tipo. Além disso, corpos sutis, auras e outras coisas que brilham na noite. Desenhe alguns símbolos celtas e coloque a playlist da Loreena McKennitt pra tocar!

Estou intencionalmente exagerando esta vibe para discutir uma suposição comum – que a magia é uma forma imaterial com efeitos materiais. Assumimos isso por causa da herança do materialismo Cartesiano, subsequentes narrativas culturais e outros conceitos de fantasia de artes liberais. Ela também funciona para nós porque cria o reino mágico da alma: um domínio inerentemente misterioso (e desnecessário, se você não acredita nessas coisas), onde todo o nosso conhecimento sobre o mundo material é jogado pela janela, e nossa imaginação toma conta. Mas estas coisas são pressupostos essencialmente modernos. Elas ficam conosco por causa da nossa história particular, e em jogos como Mago podemos usar com grande efeito.

Mas em Mummy, a concepção de magia vem de uma tradição mais antiga – uma que é estranha às nossas sensibilidades modernas. Este é um caminho de feitiçaria que antecede Platão e um “mundo de ideais”. Ele antecede deuses onipotentes e amorosos e facilmente divide a existência entre reinos materiais e imateriais. Por exemplo, egiptólogos acreditam que nenhum dos vários termos que se traduzem para “alma” têm as características que assumimos. Eles não são coisas invisíveis, intocáveis, mas surgem e desaparecem de diferentes aspectos da vida dos antigos. Quando chega a hora certa, eles tocam e eles se banqueteiam, assim como, muitas vezes, demonstram sua fúria através de calamidades, doenças e má sorte.

A mágica dos Surgidos, então, tem uma característica visceral, material, canalizada para corpos e objetos, com o último sendo de especial importância para eles. Os Imortais conhecem as forças invisíveis e abstratas, o poder mágico, mas estas coisas se manifestam menos como uma Nova Era, ligando um tipo de “brilho” diferente do que você espera. E apesar de múmias serem os herdeiros de uma rica tradição metafísica, as leis desta tradição demandam um conjunto, manifestações pragmáticas “inscritas” na alma como um encanto pintado em um sarcófago… ou esculpidas na forma de um artefato místico.

Até a próxima semana…

Senebti!

Fonte: Character: The Occult Form
Autores: CA Suleiman e Malcolm Sheppard
Tradutora: Eva

Sobre Eva

Escritora, tradutora e revisora, bruxa feminista, maga da Dragão Brasil, Oráculo do Livro dos Espelhos e editora da Aster Editora.

Ver mais artigos de