Drive Thru RPG

Familiar: e agora?

19/12/2011

Então você tem pontos novinhos em folha, e decidiu que um familiar seria uma boa idéia. A questão é: Como seu personagem vê o seu novo companheiro? Um familiar faz parte do mago, tanto quanto sua própria mágika. É um espírito sim, possui sua própria personalidade – mas sua alma é moldada em torno do próprio avatar do mago. A princípio, a idéia não soa assustadora – a idéia de ter um familiar grande e poderoso que possa auxiliar em combate ou tirar de problemas é tentadora.

Mas…você mandaria seu melhor amigo ( e alguém que conhece sua mente e seus segredos ) para a frente de batalha ou para explorar o desconhecido simplesmente por que soa mais seguro? Por quê sua personagem decidiu ter um familiar? Necessidade de ter com quem aprender? Companhia? Uma forma de não explodir de paradoxo? Uma experiência?

Seja qual for a resposta, é importante lembrar que não importa a forma que o corpo tome – é um espírito consciente que ali vive – e tem seus próprios gostos e idéias a respeito do mundo. Muitas vezes,o familiar pode demandar um tempo grande de seu companheiro ‘mago de estimação’. Tudo depende do acordo feito com o espírito. Um tempo diário para brincadeiras, um novelo de lã novo e uma tigela de leite a cada lua, usar o sobrenome do mago como seu próprio nome, ter uma casa só para si. O acordo feito com o familiar varia enormemente, mas sempre é sagrado: descumprir suas obrigações acarreta em familiares descontentes. E familiares descontentes… bem, podem variar em coisas que vão de travessuras pequenas ( ‘você roeu a ponta do livro que eu estava transcrevendo de novo?’) até coisas maiores – e fatidicamente, o abandono. NINGUÉM aceita vir a mundo que não é seu e servir/acompanhar alguém para ser maltratado. Especialmente quando se trata de um espírito mais poderoso – ainda que ele acabe se esquecendo disso com o tempo. Nem todo mago vê seu familiar como seu amigo. No entanto, ameaçar ou tratá-lo com descaso é impensável. O espírito tem o direito de simplesmente ir embora, se decidir que não está sendo bem tratado. E não esqueça de alimentá-lo! Ninguém trabalha bem com fome. : )

Autora: Emi

Sobre Colaboração

Artigos publicados por leitores ou ex-autores do blog, que gentilmente colaboraram conosco ao longo dos anos. Artigos de opinião não necessariamente expressam a opinião das autoras do blog; traduções e resenhas têm suas informações checadas.

Ver mais artigos de