Drive Thru RPG

Clã Toreador – Vampiro 20 Anos

06/04/2012

“Muito tempo depois de você morrer eu ainda serei jovem, bela e adorada por todos aqueles cujas vidas eu toco.”

Da perspectiva Toreador, quando o sol se põe, a escuridão faz surgir um mundo eterno e maravilhoso. Tudo está cheio de maravilha e terror, politicas rasteiras e glórias sensuais, o profundo e o profano, e uma tendência inegável ao sanguinário. Estes Membros são os Toreador, e eles passam suas não-vidas abrigados no prazer.

Claro, para vampiros com esta disposição, é fácil tornar-se cansado e amargo. Mais do que outros Clãs, os Toreador muitas vezes sucumbuem ao tédio, ou lutam contra o eventual tédio da imortalidade jogando jogos de rivalidade. Um excesso de estímulo os torna escravos das sensações que procuram. O Toreador mais degradado pode se tortar um verdadeiro monstro, afundando-se em níveis inimagináveis de depravação, para, no fim, não ser capaz de sentir absolutamente nada.

Os Membros do Clã Toreador muitas vezes envolvem-se muito no mundo dos mortais. Eles têm uma série de razões, se alegrando com a proximidade ao rubor da
vida, cativando verdadeiros cultos de seguidores apaixonados ou influenciando e seguindo das tendências de sua própria espécie, zombando e venerando a uma só vez. Para ouvir o que os Toreador têm a dizer, eles são as Musas do desesperado mundo mortal, inspirando através de sua beleza ou mecenato.

Compre a edição de 20 anos de Vampiro: A Máscara

A cultura Toreador é uma mistura de sibaritas, diletantes e visionários. Alguns Toreador, que ecoam a paixão mortal, Abraçam amantes ou “projeto” de progênie que pareçam voar na face de cada costume Toreador. Estes ou não duram muito tempo ou chegam a um lugar de destaque como subversivos e individualistas. Ideias, tendências e “a próxima coisa grandiosa” se espalhou pelo Clã, e outros Membros muitas vezes olham para os Toreador em busca de quem os guie. Os Degenerados sabem disso, e muitos se tornam Hárpias, Príncipes e outras figuras-chave na sociedade vampírica.

Apelido: Degenerados

Seita: A Camarilla não teria sobrevivido nas noites após a Revolta Anarquista sem a substancial participação dos Toreador, e eles continuam entre seus apoiadores mais fervorosos.

Aparência: Quase até o final, eles são atraentes de alguma forma, seja a beleza tradicional de uma modelo de passarela ou o perigoso fascínio de algo mais predatório. Os Degenerados aumentam sua beleza física com um senso de estilo pessoal, que pode assumir a forma de caríssima alta costura, moda das ruas vanguardista, ou modas clássicas concebidas para enfatizar suas atraentes qualidades. Na verdade, aqueles dotados de beleza física muitas vezes vão menos que muito longe na escolha de seus apetrechos.

Compre o Clanbook Toreador First Edition

Refúgio: Os Degenerados não olham gastos nas escolhas de seus luxuosos refúgios, muitas vezes com muitas obras de arte originais. É um motivo de orgulho entre os Toreador ter um refúgio nada convencional (e, por isso, memorável) com confortos modernos; assim, muitos têm lofts e coberturas marcantes, enquanto os mais ousados entre eles renovam ou reaproveitam tudo, de aquários abandonados a igrejas profanadas a jardins suspensos ou armazéns-galerias convertidos em vizinhanças último-grito-da-moda. Dividir um refúgio comunal? Que déclassé.

Antecedentes: Muitos Toreador acorrem aos antecedentes da alta sociedade ou “boemia”. Na verdade, muitos são, eles próprios, artistas ou influentes nos cenários artísticos locais ou de outras culturas. Atores, cantores, músicos, escultores, poetas, dramaturgos, autores e criativos folclóricos de qualquer classe podem muito bem encontrar uma casa no Clã, assim como aqueles que servem como mecenas para (ou que viaje em comitivas de) esses tipos artísticos.

Criação de Personagem: Atributos Sociais são quase sempre primários, com um empate entre os Talentos, Habilidades e Conhecimentos, dependendo de como o Toreador se distingue. Os Toreador também gostam de cultivar Antecedentes. Alias, Contatos, Recursos, Domínio, Refúgio, Mentores, Lacaios – todos estes têm um grande valor entre os Toreador. Um Toreador sábio pode optar por desenvolver as suas Virtudes, Humanidade, Trilha ou Força de Vontade, porque com uma não-vida de degeneração, devem frequentemente estar atentos aos negócio feio de trazer a Besta para a superfície.

Compre o Clanbook Toreador Revised

Disciplinas de Clã: Auspícios, Rapidez, Presença

Fraqueza: Quando um Toreador experiencia algo verdadeiramente notável – uma pessoa, um objeto d’art, um belo nascer do sol – o jogador precisa fazer uma rolagem de Autocontrole ou Instintos (dificuldade 6). Uma falha significa que o vampiro se vê encantado com a experiência. O Toreador deslumbrado não pode agir pela duração da cena, além de comentar ou continuar seu envolvimento com seja lá o que for que tenha atraído sua atenção. Se a experiência não mais afetá-lo (se movendo, sendo destruído ou o que for apropriado para a situação), a captação termina. Toreador arrebatados não podem sequer se defender se forem atacados, apesar de ser ferido lhes permite fazer uma outra rolagem de Autocontrole ou Instintos.

Organização: O Clã Toreador é cliquista * e paroquial em seus domínios locais, mas muito raramente em um nível que afete o Clã a nível personalizado. Alguns Toreador (e alguns de fora do Clã) muitas vezes usam os termos “artiste” e “poseur” quando descreve algum Toreador individualmente, muitas vezes de forma pejorativa, para descrever se o Degenerado em questão é daqueles vistos como um dos criativos ou simplesmente um seguidor de tendências estabelecidas, mas estas são certamente distinções informais.

* Cliquista vem de clique, um grupo pequeno e exclusivo de amigos ou associados.

Fonte: Vampire: The Masquerade – 20th Anniversary Edition – páginas 66 e 67
Imagem: Vampire: The Masquerade – 20th Anniversary Edition – página 66
Tradução: Eva

Sobre Eva

Tradutora, revisora, escritora e sonhadora. Anarcafeminista em constante estado de amor e horror com o mundo. Editora no Livro dos Espelhos.

Ver mais artigos de