Drive Thru RPG

>A Nomeação de um Mago Hermético

28/12/2011

>

Magos da Ordem de Hermes normalmente usam Nomes de “Ofício” ou “das Sombras” quando adentram o mundo Desperto.

Esta prática, comum aos feiticeiros Herméticos mesmo antes da formação da Ordem (como evidenciado por nomes como Bonisagus ou Flambeau), serve a duas funções importantes.

Primeiro, o uso de nomes diferentes dá ao mago a habilidade de controlar quem ele é esculpindo a percepção de sua identidade através de um exercício da Vontade consciente, ao contrário do acidente ou o que seja o nome que seus pais imaginaram. Ele está, através do uso de seu Nome Desperto, definindo sua própria natureza ao invés de ser definido por outras naturezas que lhe sejam impostas.

Segundo, e talvez o mais cômodo, o uso destas identidades alternativas obstrui a verdade da natureza do mago de seus inimigos (lembrando que a Ordem está muito consciente do quão facilmente a consciência da verdadeira natureza de algo pode ser usada para manipula-la ou causar dano). O novo Nome do mago o protege e àqueles a quem ele conhece de sua vida Adormecida, desviando a influência de seus inimigos reais ou potenciais.

O Nome de Ofício é simplesmente outro nome, muitas vezes comuns o suficiente para se passar por um nome comum. Muitos Nomes de Ofício são muito elegantes, e seria muito difícil encontrar algo sobre um Hermético que se dê um nome tão comum quanto William Smith ou Jane Brown como Nome de Ofício.

O Nome das Sombras é o Nome de Ofício do mago, com o nome de nascimento do mago inserido entre o primeiro e o nome do meio ou o último do Nome de Ofício, sucedido por uma lista de feitos (declarados de forma poética e normalmente oculta) que varia de comprimento, dependendo do comprimento (e da quantidade de acontecimentos) da carreira de um mago. Muitas vezes, a arrogância (ou a falta dela) do mago em questão também são fatores que determinam quantos honoríficos são inseridos no Nome de Ofício.

O Nome Verdadeiro de um mago da Order, por um outro lado, é mais do que apenas uma questão de orgulho: é a auto-definição final. O Nome Verdadeiro usa a totalidade do Nome das Sombras, seguido pelas palavras “In Caligine Abditus” (ou “Nas Sombras Escondido”) e 10 sílabas (que não são palavras de verdade). Tomados em seu conjunto, estes sons ou caracteres escritos resumem a totalidade do ser de um mago Desperto da Ordem, servindo como um projeto de sua natureza mística.

Com o que tudo isto se parece? Um exemplo:

Nome de Nascimento: Erin Justine Connell
Nome de Ofício: Alexia Elizabeth Cavanaugh, bani Tytalus
Nome das Sombras: Alexia Erin Justine Connell Elizabeth Cavanaugh, bani Tytalus, Pedra do Fogo Não-Ardente, Senescal do Trono Argento, Leoa das Nove Estrelas e Sentinela da Torre Arruinada; In Caligine Abditus, Lahru Siume Tanek Keremot

Possuir o Nome Verdadeiro do Artífice da Vontade Hermético permite que um outro mago (ou qualquer sociedade mística) ataque o Hermético com efeitos mágicos com uma dificuldade de -2 ou adicione um modificador similar a rolagens que contenham as mágikas do Hermético. Adicionalmente, ele é tratado como “amostras do corpo” para o alcance de Correspondência, independentemente de quão distante ou, de outra forma, desconhecido, ele seja do mago que possuir seu Nome.

Por que, então, a Ordem usa Nomes Verdadeiros, dado o risco óbvio que eles representam? Defesa. Quando no alvo de mágicas de longo alcance de um mago que não conheça seu Nome Verdadeiro, independentemente da distância ou outros fatores, conta como “sem conexão” na tabela de alcance de Correspondência. Adicionalmente, ele subtrai seu Arete dos sucessos obtidos para penetrar seus Efeitos de Defesa. Em outras palavras, isto dificulta ao máximo o confronto com ele de qualquer forma exceto diretamente, ou para impedir de procurá-lo para um confronto direto se ele assim o desejar. Naturalmente, dado o seu poder sobre a Ars Virium, qualquer combate cara a cara frequentemente favorecem os Artífices da Vontade da Ordem de Hermes.

Discernir o Nome Verdadeiro de um mago Hermético requer pelo menos Mente 4 (e uma compreensão, e então algum grau de aceitação, do poder dos Nomes Verdadeiros), com não menos um sucesso por nível de Arete do mago em questão necessário para desvendar os segredos de sua natureza mais íntima. Muitos magos Herméticos, contudo, escondem muito seus Nomes Verdadeiros, indo mesmo tão longe quanto integrar “armadilhas” místicas nos cantos mais escondidos de seus Nomes das Sombras (que deve, naturalmente, ser plenamente discernido antes que seus Nomes Verdadeiros possam ser descobertos – uma tarefa em si, para magos que já tenham realizado feitos impressionantes), armadilhas que atacam todos aqueles que usem a magia para bisbilhotar onde não devem.

The Naming of a Hermetic Mage
Fonte: Tradition Book Order of Hermes Revised (página 69)
Tradução: Eva

Sobre Eva

Escritora, tradutora e revisora, bruxa feminista, maga da Dragão Brasil, Oráculo do Livro dos Espelhos e editora da Aster Editora.

Ver mais artigos de