Drive Thru RPG

A Litania – Lobisomem: O Apocalipse

31/10/2012

Vieram de todas as partes do mundo
e durante uma noite
foram apenas uma Tribo,
e ali os Galliards cantaram a primeira Litania.

Como o povo tribal que é a Nação Garou possui seus próprios tabus. O conceito de tabu é importante em Lobisomem: O Apocalipse uma vez que, como em todas as sociedades, existem valores que pautam o comportamento e mexem com a sensibilidade dos indivíduos. O código de conduta dos lobisomens é ditado pela Litania, uma grande canção das eras que contém as tradições, os códigos e as leis dos Garou.

Como os juízes que são, todos os Filodox conhecem a Litania de cor, e os Galliard conhecem uma boa parte, uma vez que são os guardiões das histórias, canções e conhecimentos. Mesmo os Ragabash conhecem o bastante para que possam burlá-la sem ir longe demais, e para os Ahroun, a Litania diz muito sobre o motivo de suas lutas.

Ainda que a Litania seja una, cada tribo possui a sua própria interpretação – mas de um modo geral, os valores dos Garou são simples e diretos, suas punições são rápidas – e muitas vezes brutais – e os violadores sabem bem o que estão fazendo. Ainda assim… nem tudo é tão simples.

A Litania

A palavra litania vem do latim litania, que deriva do grego lite e significa oração ou súplica. A seguir, temos a litania em si, e alguns comentários sobre as interpretações gerais de cada uma de suas leis. Em artigos futuros, pretendo abordar, caso a caso, as interpretações gerais de cada Tribo para as leis Garou.

Não Cruzarás com Outro Garou

Esta lei é simples: o cruzamento entre dois Garou produz lobisomens Impuros. Lobisomens devem buscar por parceiros entre os humanos ou os lobos, para que gerem filhotes perfeitos. Porém, a quantidade de Impuros que se pode encontrar mostra que esta lei já não é tão… seguida quanto já foi um dia. Ainda que seja motivo de vergonha, dificilmente seus violadores sofrerão pena capital, já que já não existem tantos lobisomens no mundo a ponto de se darem ao luxo de matar os que existem. Ainda assim, gerar um filhote Impuro pé motivo de grande vergonha para os pais, levando alguns Garou, muitas vezes, a atitudes desesperadas, como esconder seu crime e abandonar (ou, em casos extremos, assassinar) os filhotes da vergonha.

Combaterás a Wyrm Onde Quer Que Ela Esteja e Sempre Que Proliferar

Outra lei simples e direta – os Garou foram criados para combater a Wyrm e, como guerreiros sagrados de Gaia, devem honrar esta tradição. Entretanto, alguns Garou acabam perdendo mais tempo em politicagem e competições mesquinhas do que cumprindo o seu papel, o que só aumenta a tragédia.

Respeitarás o Território do Próximo

Uma vez, os territórios eram amplos, e muitos. Extensas regiões selvagens permitiam que os Garou se organizasse longe dos humanos, marcando seus territórios com urina. Qualquer Garou que desejasse entrar em território alheio deveria entoar o Uivo de Apresentação para pedir permissão, recitando seu nome, seita, linhagem, totem e tribo. Entretanto, o mundo mudou. Humanos se espalharam, e os territórios selvagens são cada vez mais escassos. Como nunca antes em sua história, tribos diferentes são obrigadas, muitas vezes, a dividir territórios (o que gera um aumento de tensão). Além disso, em territórios urbanos, uivar seria, no mínimo, inapropriado, sendo mais fácil enviar um e-mail ou dar um telefonema. Alguns Garou mais jovens também costumam esquecer esta regra que consideram “fascista”, o que pode gerar sérios desentendimentos com lobisomens mais territorialistas.

Aceitarás uma Derrota Honrada

O fato é que os Garou estão em extinção, e, repetindo, não podem se dar ao luxo de perder mais indivíduos. Porém, enquanto seres meio lobos, duelos são inevitáveis. Acontece que duelos até a morte só aumentaria a falta de garras destinadas a combater a Wyrm. Teoricamente, um Garou pode reconhecer a própria derrota mostrando a garganta para seu oponente, e o vencedor é obrigado a aceitar o término da luta sem executar o derrotado. Mas, para alguns lobisomens, a derrota é algo vergonhoso, e preferem perder a própria vida a se render.

Submeter-te-ás aos Garou de Posto Mais Elevado

Lobisomens, assim como os lobos, são criaturas hierárquicas. Desde que seja razoável, as ordens de um Garou de posto mais elevado deve ser obedecida. Nada impede, porém, que um Garou mais jovem ignore um velho caquético – exceto que a Fúria do velho caquético pode se inflamar, e de repente, aquele ancião enrugado pode se mostrar um combatente realmente irritado e pronto a dar uma lição – física – no jovem desobediente.

Darás o Primeiro Quinhão da Matança ao de Posto Mais Elevado

Aqui, o negócio é simples: assim como os lobos mais fortes se alimentam primeiro, os lobisomens de posto mais elevado também o fazem. Esta tradição se estende para os espólios de guerra, então teoricamente, fetiches da presa devem primeiro ser oferecidos aos Garou mais renomados. Na prática, cada seita e alcateia interpreta a Litania do seu próprio modo. Dificilmente o mesmo Garou receberá os fetiches e amuletos mais legais todas às vezes, e caso sempre queira impor esta tradição, deve estar preparado para as consequências por ser tão ganancioso.

Não Comerá a Carne dos Humanos

Canibalismo é feito. Garou que consomem carne humana acabam contaminados pela Wyrm – seja pelo canibalismo em si, seja pela dieta moderna dos humanos estar repleta de alimentos de uma das subsidiárias da Pentex. Algumas Tribos interpretam este trecho ao seu próprio modo, mas de modo geral, os Garou não incluem pessoas na própria dieta. Isso seria meio nojento.

Respeitarás Aqueles Inferiores a Ti – Todos São Filhos de Gaia

Os Garou são seres altamente sociáveis e, mais do que isto, comunitários. Todos os serem possuem um propósito no Grande Esquema das Coisas. Na prática, alguns indivíduos se enchem de orgulho e não hesitam em desrespeitar – ou matar – seres inferiores (e dependendo do Garou, um cervo ou um humano podem ser igualmente inferiores aos Garou).

Não Levantarás o Véu

Não mostre aos de fora o que você realmente é. Esta tradição raramente é violada por um motivo simples: eles são caçados pela Wyrm, e mesmo por outras coisas. Os Garou sabem que a Inquisição ainda está por ai. Os Garou que exibem sua verdadeira natureza sem “limpar a bagunça” recebem a pena capital o mais rapidamente possível, pois são um risco para todos.

Não Serás Fardo Para Teu Povo

Antigamente, um Garou ferido além da cura, ou velho demais para se transformar, era morto por seus pares ou se retirava para morrer sozinho. Porém, são novos tempos, e os Garou – ao menos a imensa maioria dos hominídeos – defendem que mesmo os mais velhos têm algo a oferecer para o grupo. Como enviar para a morte (ou assassinar) sua mãe, seu tio, seu avô? A maioria dos Garou velhos demais para que continuem na luta retornam para a sociedade humana ou lupina, ou permanecem entre os Garou, contribuindo como podem, seja defendendo de alguma forma os interesses da Nação, seja ajudando a educar os mais jovens.

Em Tempos de Paz, o Líder Poderá Ser Desafiado a Qualquer Momento

Ainda que obedeçam os de posto superior, os Garou não são escravos, e caso não exista nenhuma ameaça imediata, desde que tenha o posto adequado para isto, um Garou pode desafiar o outro pela liderança da alcateia. Se vence, assume a liderança, se perde, aceita de bom grado as ordens do líder do grupo. Porém, alguns líderes são fortes (ou habilidosos) o bastante pra ser muito difícil derrotá-lo. Embora, quando se fale de lobisomens, logo se imagine combates sangrentos, esta não precisa ser sempre verdade, são reconhecidos outros desafios, como os de lógica, os de habilidade, charadas, entre outros. Entretanto, alguns Garou inescrupulosos podem tentar alegar que não estão em tempos de paz, pela guerra constante contra a Wyrm.

Não Desafiarás teu Líder em Tempo de Guerra

O trabalho em grupo das alcateias é primordial na guerra contra a Wyrm – nenhum Garou, sozinho, seria capaz de vencer as criaturas mais monstruosas da Wyrm. A obediência ao líder, que estabelecerá as táticas de combate, aqui, se torna uma simples questão de sobrevivência. Durante a luta, o líder deve ser obedecido, independente de qualquer coisa, e aqueles que desobedecerem recebem a pena capital assim que a batalha acabar – a menos que a insubordinação se dê em ocasiões especiais. Um Garou que desobedeça a um líder corrompido ou incompetente dificilmente será punido pelos Filodox, ainda que não receba nenhum Renome, afinal, a Litania foi quebrada.

Não Desempenharás Nenhuma Ação que Cause a Violação de um Caern

Aqui, não tem meio termo – todos os Garou dão a vida pela defesa de um caern. Mesmo que seja acidente, um Garou que leve um inimigo a um caern receberá uma punição severa, ainda que, talvez, não a pena capital.

Autora: Eva

Sobre Eva

Tradutora, revisora, escritora e sonhadora. Anarcafeminista em constante estado de amor e horror com o mundo. Editora no Livro dos Espelhos.

Ver mais artigos de