Drive Thru RPG

A Forja de Uma Alma

06/02/2012

 Houve um dia em que fui convidado para jogar em uma mesa que seria narrada pelo Rafael Mastromauro. Sempre o considerei um dos caras que mais sabia de Mago por aí e acho que de fato é. Montando o meu personagem, me preocupei com aspectos básicos, como sua história, seu passado e seu comportamento…até que uma pergunta foi feita por ele: – O que torna seu personagem único? Por que ele seria diferente dos outros Adormecidos e conseguiria Despertar? Eu verdadeiramente despertei para o que o jogo Mago era.

Refleti todo esse tempo, apesar de não ter mestrado ou jogado Mago eu sempre li sobre ele, na verdade só me faltam oportunidades e jogadores, porque vontade há de sobra! Jogar Mago ou criar um personagem de Mago exige mais do que uma simples história e uma simples representação, exige uma complexa estratificação do mundo por parte do personagem, definir a forma como ele vê o mundo e suas minúcias. Cada ser Desperto entende o mundo da sua própria maneira e isso influencia muito na hora de se jogar Mago: A Ascensão. O seu paradigma é mais do que o seu simples conjunto de crenças, tem também de se estratificar o porquê das suas crenças e como elas atuam sobre seus atos… sobre a sua mágika.

Sei que este tema pode ser até batido no livro básico da segunda ou terceira edição, porém muitas vezes esquecemos do quão profundo é o processo de Despertar, o modo mais fácil de se jogar Mago em primeira instancia é jogar com você personificado, você possui o seu sistema de crenças e conhece a estratificação dela melhor que qualquer um nesse mundo…a minha pergunta é a seguinte: – Por que você Despertaria? Que fatores levariam você a expressar uma força de vontade muito superior ao mundo? Qual o seu diferencial?

Mais que personagens de Mago: A Ascensão, criamos almas na hora de jogar, almas sem corpo. Que acreditam muitas vezes em um sistema de crenças muito mais complexo que o nosso e que devem possuir controle da vontade, afinal…eles são Despertos, eles têm um conhecimento muito superior ao nosso e uma mente muito mais ativa e consciente para o que acontece com o mundo.

Mesmo falando assim pode ser difícil perceber que este é um cenário que exige mais do que simplesmente criar um personagem, exige criar uma outra personalidade sua, com outro sistema de crenças, outros pensamentos que, porém devem ser tão complexos e convincentes quanto os seus. Se eu te perguntasse agora como racionalizaria e efetuaria o efeito de acender uma simples vela com mágika, como o efeito seria conduzido? Como a chama se acenderia e o pavio entraria em combustão? Há de se pensar em tudo isso na hora de se criar um personagem… que na minha opinião é uma das horas mais tensas de Mago e uma das mais gratificantes futuramente.

A mágika vive, saiba como conduzí-la e criá-la!

Autor: Vivas

Sobre Colaboração

Artigos publicados por leitores ou ex-autores do blog, que gentilmente colaboraram conosco ao longo dos anos. Artigos de opinião não necessariamente expressam a opinião das autoras do blog; traduções e resenhas têm suas informações checadas.

Ver mais artigos de